Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Mal de Alzheimer: o que é, sintomas, tratamentos e causas

alzheimer

Mal de Alzheimer!

Se você não conhece essa doença ou tem dúvidas, então precisa ler este artigo, pois aqui vai encontrar tudo o que você precisa saber sobre essa doença. Você vai conferir o conceito de Alzheimer, seus principais sintomas e causas e alguns tipos de tratamentos.

Vamos lá!

O que é Alzheimer?

O Mal de Alzheimer é um transtorno neuro-degenerativo, ou seja, declínio do funcionamento do sistema nervoso causado pela morte das células que o compõe – os neurônios.

Esse decaimento causa redução das funções intelectuais, redução da capacidade de trabalho e relação social, diminuição das capacidades cognitivas e motoras e interferência no comportamento e na personalidade, que pode se agravar profundamente e levar à morte.

Seu nome é uma homenagem ao médico que o descreveu pela primeira vez, em 1906, o psiquiatra e neuropatologista alemão Alois Alzheimer, na paciente Auguste Deter, uma mulher de 51 anos que parecia totalmente saudável, mas apresentava quadros de perda progressiva de memória, desorientação e distúrbio de linguagem.

A doença normalmente é diagnosticada em pessoas com idade superior a 65 anos, embora existam casos onde ela ocorre mais cedo.

A tendência da doença é que sua prevalência aumente exponencialmente com a idade, sendo de 1% em idosos entre 65 e 70 anos; 6% aos 70 anos; 30% aos 80 anos; e mais de 60% depois dos 90 anos.

Em 2006, existiam 26,6 milhões de pessoas no mundo diagnosticadas com Alzheimer e a previsão é que em 2050 sejam afetadas pela doença 1 a cada 85 pessoas no mundo.

Até o momento, a doença não é curável, mas os avanços nos tratamentos disponíveis têm prolongado a expectativa e a qualidade de vida de quem sofre com ela. Quanto mais cedo o diagnóstico, maior a eficácia dos tratamentos e maior o controle sobre os sintomas.

8 principais sintomas do Alzheimer

Por falar em sintomas, a doença se manifesta de diferentes formas em cada indivíduo, mas há uma série de sintomas comuns entre eles.

O Alzheimer é responsável por mudanças drásticas no cotidiano do indivíduo que o possui, causando perdas de memória, de orientação e da linguagem até que a pessoa se torne extremamente dependente de outra para realizar tarefas simples, como comer e se vestir.

É muito importante prestar atenção aos sinais para que não se confundam com manifestações da idade ou do estresse.

Aproveite então para conferir abaixo os 8 principais sintomas do Alzheimer.

1. Perda de memória constante

Esquecimento de informações recebidas recentemente. Não lembrar de datas ou eventos importantes e perguntar a mesma coisa várias vezes em um curto espaço de tempo.

2. Não solucionar problemas simples

O idoso pode ter sua capacidade de trabalhar com números reduzida e não conseguir se concentrar em tarefas simples, como fechar um orçamento, por exemplo.

3. Dificuldade de seguir a rotina

Executar uma tarefa cotidiana no trabalho se torna difícil para uma pessoa com Alzheimer.

4. Confusão com tempo ou lugar

As vezes eles esquecem onde estão ou como chegaram lá, além de enfrentarem dificuldades para compreender algo que não acontece no presente.

5. Problemas de visão

Não é raro alguém com Alzheimer sofrer com problemas de visão. Elas têm dificuldade em identificar uma cor ou contraste.

6. Problemas de fala e escrita

Acompanhar ou manter uma conversa, vira um desafio. Esquecer o assunto ou a palavra que ia dizer não é incomum, assim como confundir o nome de objetos e pessoas.

7. Incapacidade de julgamento

Um idoso com Alzheimer pode ser convencido facilmente a decidir ou tomar uma decisão. Ou seja, pode acatar qualquer pedido de qualquer pessoa.

8. Mudança de personalidade

Suas emoções são afloradas. Eles ficam confusos, deprimidos, ansiosos e sentem-se pressionados o tempo todo.

Causas do Alzheimer

As causas do Alzheimer ainda são desconhecidas. Há hipóteses que as relacionam com fatores genéticos, mutações indesejadas, fatores familiares ou ambientais, relacionados à falta ou presença de proteínas ou aminoácidos específicos no organismo, entre outros fatores.

Apesar de desconhecerem a causa principal da manifestação do Alzheimer, há diversos hábitos que podem causar o agravamento da doença.

Já são cientificamente comprovados como fatores de risco:

• Fumo;
• Depressão;
• Poluição do ar;
• Hipertensão;
• Colesterol alto;
• Diabetes;
• Obesidade;
• Sedentarismo.

Todos relacionados a progressão da doença em mais de 50% dos casos.

A doença de Alzheimer tem cura?

A doença de Alzheimer ainda não tem uma cura definitiva, mas existem algumas opções de tratamentos que ajudam a pessoa a diminuir ou evitar uma piora do quadro.

Como não há cura para a doença, os tratamentos disponíveis têm como principal objetivo tratar os sintomas e minimizar seus efeitos na vida do idoso e seus familiares, aumentando a sobrevida e a qualidade com que a pessoa viverá.

Tratamentos de Alzheimer

Basicamente, existem dois tipos de tratamentos:

Tratamento farmacológico

Acredita-se que os sintomas sejam causados pelas alterações em algumas substâncias presentes no cérebro, como a acetilcolina, por ser encontrada em quantidades reduzidas em pacientes com a doença. Por isso, a maioria dos remédios de combate ao Mal de Alzheimer atuam na reposição dessa substância.

Como existem diversas medicações disponíveis no mercado, os efeitos colaterais e as vantagens trazidas por cada uma delas devem ser avaliadas com rigor por um médico especializado na área, para tornar o tratamento mais agradável.

Entre outros remédios podem ser também prescritas medicações específicas apenas para a redução dos sintomas, como antidepressivos, ansiolíticos, entre outros.

Tratamento não farmacológico

Há evidências da melhora dos sintomas através de estímulos específicos da habilidade cognitiva, social e física na maioria dos casos. Continue a leitura para saber mais sobre esse tipo de tratamento.

Tratamentos naturais para o Alzheimer

Os tratamentos não farmacológicos (naturais) para o Alzheimer têm como objetivo de não forçar o idoso a um estado anterior da doença, mas sim conter o avanço da doença para preservar suas capacidades neurológicas e otimizá-las.

Confira abaixo 6 tipos de tratamentos naturais para o mal de Alzheimer que você pode colocar em prática.

#1 Estímulos mentais

Também chamados de estímulos das funções cognitivas, consistem na realização de tarefas ou atividades que requerem a utilização do pensamento, raciocínio lógico, atenção, memória, linguagem e planejamento.

Essas atividades podem ser jogos, desafios mentais, treinos específicos, reflexões, narração de histórias (para resgatar a memória) e uso de materiais que auxiliem nas dificuldades específicas, como por exemplo, um calendário para pacientes que sofrem de desorientação temporal.

Além disso, as atividades podem ser realizadas individualmente ou em grupo, atentando para a necessidade de cada paciente e suas limitações. Tem como objetivo estimular as habilidades cognitivas e minimizar as dificuldades dos pacientes, promovendo mais autonomia e capacidade de decisão.

#2 Estímulos físicos

É a atividade que consiste na realização de atividades físicas ou fisioterapia, pois além de manter ativas certas áreas do cérebro e evitar a sua degeneração, promove mais coordenação muscular, equilíbrio e flexibilidade. Também ajuda o idoso a manter-se independente e retarda o decaimento das funções motoras.

Lembre-se de que o estímulo deve ser agradável e não cansar o idoso. Analise as necessidades e capacidades do idoso antes de atribuí-lo uma dessas atividades, além de manter constante o monitoramento, para evitar quedas e machucados.

#3 Estímulos sociais

As atividades de estímulo social consistem na manutenção e ativação de suas habilidades sociais através do contato com outras pessoas, sejam outros pacientes, familiares ou amigos.

A importância dessas atividades é promover a utilização das habilidades de comunicação, convivência e afeto, evitando sintomas de apatia e depressão ou problemas na fala e na expressão através da fala por conta da inatividade.

Essas atividades podem ser através do contato com a família, principal fonte de convívio e interação social, ou de atividades em grupo que envolvam, por exemplo, lazer, cultura, celebrações de datas importantes e narrativas de histórias. É necessário que as conversas sejam monitoradas e adequadas de acordo com as necessidades do idoso.

#4 Organização da rotina e do ambiente

Uma vida e um ambiente bem organizado previne a ocorrência de situações agitadas e desorganizadas, que podem influenciar o humor do idoso, sua relação com as pessoas e suas capacidades cognitivas.

Ofereça ao idoso um ambiente organizado, com rotinas e situações previsíveis, evite conflitos desnecessários, bagunça e situações intensas. Isso ajuda a controlar os sintomas de ansiedade e agitação, delírios e situações constrangedoras.

#5 Dieta saudável

Além de colaborar para a prevenção das doenças que podem agravar o risco da manifestação do Mal de Alzheimer, manter uma dieta saudável pode ser fator essencial para manutenção da saúde, e tratamento dos sintomas, aumentando a qualidade de vida, disposição e energia.

O idoso também deve se alimentar em períodos regulares, sempre no mesmo horário, mantendo uma rotina saudável e organizada, o que facilita a vida dele.

#6 Tratar problemas específicos

A doença causa uma série de fatores que força a adaptação do idoso a situações negativas e certas perdas. Para isso, é necessário ajuda profissional para encaminhar suas dificuldades, suas ansiedades, frustrações e evitar problemas sociais.

Pode ser necessário que o idoso precise de tratamentos específicos, como a ajuda de cuidadores ou da família para auxiliá-lo nas tarefas cotidianas, como comer, beber e tomar banho; a fisioterapia, para melhora das habilidades motoras.

Além de acompanhamento psicológico para minimização do sofrimento e auxílio na adaptação a mudanças. E de acompanhamento médico geral, como geriatras, neurologistas, nutricionistas e outros para manter a saúde em dia.

Também é importante manter uma vida saudável, ser ativo socialmente, fisicamente e mentalmente, além de possuir uma rotina e organização constante na vida.

O acompanhamento médico também é importante para um tratamento eficiente e manter a saúde e qualidade de vida sempre em alta. Entretanto, esse tipo de tratamento não deve excluir um tratamento farmacológico, e sim complementá-lo.

Home care

Por se tratar de uma doença que avança com o tempo, uma pessoa com o Mal de Alzheimer necessita de tratamento em tempo integral.

Para esses casos, é recomendado o serviço de home care que é focado em cuidados domiciliares para idosos e famílias com uma grande gama de necessidades.

Esses cuidados são feitos por profissionais médicos altamente capacitados. Eles ajudam os idosos a viver de forma independente em suas próprias residências, da melhor forma possível e pelo maior tempo possível.

Para as pessoas da terceira idade que necessitam de cuidados e supervisão mais intensivos, estão disponíveis serviços em tempo integral, ou seja, 24 horas por dia.

A quantidade e os tipos de serviços prestados por uma empresa de home care são personalizados e vão depender das necessidades individuais de cada pessoa.

A Master Nursing oferece o serviço de home care e conta com profissionais preparados para tratar, com muito cuidado e paciência, os idosos com Alzheimer para melhorar a qualidade de vida deles.

Quer conhecer mais sobre esse serviço de home care?

Então clique aqui e saiba mais sobre o conceito de home care da Master Nursing.

O diagnóstico precoce do Alzheimer e seus benefícios

O diagnóstico do Mal de Alzheimer é muito complicado, pois depende que a família ou o próprio idoso perceba os sintomas e leve-o ao médico para um diagnóstico mais preciso.

Porém, quando os próprios idosos percebem a manifestação da doença, tentam esconder os sintomas por vergonha ou medo, por isso é necessário que a família e os amigos tenham atenção redobrada com os sintomas.

Quando encaminhado ao médico, o diagnóstico normalmente é confirmado com exames de comportamento, capacidade de raciocínio e complementados finalmente por um exame cerebral, como a ressonância magnética e a tomografia computadorizada. Porém, o diagnóstico definitivo só pode ser dado através da biópsia do tecido cerebral.

Mas, existe um método capaz de antecipar o diagnóstico do Mal de Alzheimer.

Segundo estudo da Universidade de Granada, na Espanha, que consiste em um exame de tomografia computadorizada logo após a administração de um radiofármaco via intravenosa.

A partir da relação de um algoritmo e um inteligente banco de dados, capaz de processar resultados de imagens cerebrais de pessoas saudáveis e com Alzheimer, o método consegue criar um diagnóstico preliminar com precisão acima de 90%.

Assim, pode-se consultar com muita antecedência a real necessidade, ou não, de procurar pelo auxílio profissional de home care, por exemplo, bem como planejar o tratamento ainda em estágios iniciais da doença.

Considerações finais sobre o Alzheimer

Para fechar, vale ressaltar que você deve humanizar o tratamento contra o Alzheimer, pois isso vai fazer toda a diferença no resultado final do idoso.

E se você está em busca de um auxílio humanizado e profissional, para tratar um ente querido com Alzheimer, convido você a conhecer mais sobre os serviços da Master Nursing e descubra como podemos ajudar você e os seus familiares!


Home Care