Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Surdez: Dicas de cuidados em idosos

idoso

A relação entre idosos x surdez se torna mais comum a cada ano, especialmente quando associamos o fato de que a população da 3ª idade vem crescendo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), um terço das pessoas acima de  65 anos e metade da população com 70 anos tem algum problema de surdez, seja ele grave ou não.

 

A presbiacusia ou a perda de audição ocasionada pela idade é inevitável e um processo degenerativo que acontece com o envelhecimento natural, devido a morte de células auditivas.

 

Há diferentes graus para a deficiência auditiva, desde leve até profunda e raramente uma pessoa chega ao estado de ausência total do som. Contudo a surdez no idoso pode ser pior junto à fatores como pressão alta, diabetes, consumo de álcool e tabaco.

 

Surdez x demência

 

A restrição social pode aumentar o risco de desenvolvimento da demência. É frequente casos de idosos que falam sozinhos em diversas situações por não conseguir se comunicar com terceiros. A diminuição de estímulos cerebrais causados pela surdez afetam toda a área cerebral. O risco de demência no idoso cresce 27% a cada 10 decibéis perdidos na audição.

 

Surdez x depressão

 

Uma vez em que o idoso não consegue mais fazer atividades rotineiras como ouvir rádio, assistir tv ou conversar com outras pessoas, naturalmente se isola para evitar situações constrangedoras. Em algumas ocasiões, os familiares não tem paciência necessária e acabam por excluir esse idoso dos círculos sociais

 

Aparelhos auditivos

 

Existem uma série de marcas e modelos no mercado e cada indivíduo deve usar o recomendado para seu problema. Eles amplificam as ondas sonoras e são responsáveis pela melhoria parcial ou total da audição do deficiente. Caso o idoso apresente alguns desses sinais de surdez, o uso de aparelho auditivo pode ser adotado após uma consulta com especialista:

 

  • Não ouvir o telefone ao tocar;
  • Dificuldade em entender uma simples conversa cotidiana;
  • Necessidade em aumentar o volume de aparelhos eletrônicos ao máximo;
  • Ouvir “zumbidos” com frequência
  • Constantemente pedir para que as pessoas repitam o que disseram

 

Cuidados com idosos

 

Fatores como hereditariedade e exposição prolongada a grandes ruídos em boa parte da vida, inclusive na infância e adolescência, contribuem na perda de audição a longo prazo.

 

É importante destacar que há uma série de fatores que ajudam no tratamento da surdez. Alguns deles são:

 

  • Percepção da família em identificar o problema do idoso e levá-lo ao médico;
  • Não gritar ou perder a paciência ao falar com algum deficiente;
  • Conversar de forma pausada e frente a frente;
  • Utilize aparelhos auditivos, caso disponível;
  • Ser gentil e entender que o uso do aparelho no começo precisa de adaptação.

 

Evitar fones de ouvido, som elevado no carro e concertos de música demasiadamente altos na juventude, garantem maior qualidade da audição quando idoso. O paciente com perda auditiva moderada e/ou grave deve sempre usar aparelhos auditivos.

 

A Master Nursing pode cuidar disso, nós te ouvimos, ligue!