Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

6 coisas sobre Alzheimer que você deve saber

O Mal de Alzheimer está entre as grandes preocupações globais de saúde, uma vez que seus sintomas degenerativos são irreversíveis e suas principais causas são desconhecidas, podendo ser associadas a diferentes fatores.

Sabe-se, entretanto, que se trata de uma redução na produção de acetilcolina cerebral (neurotransmissor), o que deteriora, gradativamente, o desempenho de diversas atividades cerebrais.

Por isso, em busca de ampliar a discussão sobre o Alzheimer, e garantir informação de qualidade para você, separamos 6 coisas sobre Alzheimer que você deve saber no post de hoje. Confira!

1. Uma doença irreversível

O Mal de Alzheimer — ou doença de Alzheimer — ataca o cérebro progressivamente, invalidando a maioria de nossas capacidades, como a memória, a fala e até mesmo a coordenação motora para a realização de diversas atividades.

Sua ocorrência se dá, geralmente, em pacientes a partir de 60 anos de idade, o que torna a atitude de estimular o idoso mentalmente ainda mais importante para combater a doença.

2. Gravidade de nível mundial

Estima-se que, ao redor do mundo, mais de 35 milhões de pessoas convivam com o Mal de Alzheimer, segundo o Relatório Mundial de Alzheimer, divulgado pelo Instituto Karolinska, na Suécia.

Estudos apontam, inclusive, que a estimativa de pacientes dobre, até o ano de 2030, e possa até mesmo triplicar, até 2050.

3. Novas descobertas

A incessante pesquisa para descobrir as causas do Alzheimer levaram à pioneira descoberta de que a doença pode estar associada a elevados níveis de colesterol no sangue.

4. Novas maneiras de inibir o Alzheimer

Além de métodos naturais para combater a doença, foi descoberto que altas doses de vitamina B são providenciais para reduzir o encolhimento do cérebro, principalmente em pessoas idosas, o que também restringe o avanço de alguns sinais do Alzheimer.

5. A mesma doença, diferentes maneiras de atacar a mente

Recentes estudos, como o recente artigo publicado na revista Neurology, apontam que pessoas com cabeças maiores têm a sua capacidade de pensar menos impactada do que em pessoas com cabeças menores.

E isso ao levar em conta que o mesmo número de neurônios foram afetados. Ou seja: o tamanho da cabeça influencia no desenvolvimento do Mal de Alzheimer.

6. Otimismo em diagnosticar precocemente o Alzheimer

Segundo um estudo da Universidade de Granada, na Espanha, existe um método capaz de antecipar o diagnóstico do Mal de Alzheimer, que consiste em um exame de tomografia computadorizada logo após a administração de um radiofármaco via intravenosa.

A partir da relação de um algoritmo e um inteligente banco de dados, capaz de processar resultados de imagens cerebrais de pessoas saudáveis e com Alzheimer, o método consegue criar um diagnóstico preliminar com precisão acima de 90%.

Assim, pode-se consultar com muita antecedência a real necessidade, ou não, de procurar pelo auxílio profissional de home care, por exemplo, bem como planejar o tratamento ainda em estágios iniciais da doença.

Humanize o tratamento contra o Alzheimer

O que achou das curiosidades que separamos a respeito dessa perigosa doença degenerativa? Lembre-se que, se você está em busca de um auxílio humanizado e profissional, para tratar um ente querido com Alzheimer, convidamos você a conhecer mais a respeito dos serviços da Master Nursing.

Acesse o nosso site e descubra como podemos ajudar você e os seus familiares!


Home Care