Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Como ser feliz na 3ª idade

Segundo pesquisas do IBGE, pessoas entre 60 e 64 anos de idade tem a maior proporção de diagnóstico de depressão, com 11% de diagnosticados nesta faixa. A depressão é um distúrbio afetivo e psicológico gravíssimo, cujos principais sintomas são baixa autoestima, pessimismo, apatia e tristeza profunda. Alguém diagnosticado com depressão não tem vontade de se levantar e começar o dia, realizar qualquer tarefa, perde o prazer nas coisas da rotina e nas coisas que costumavam ser agradáveis e tem total perda da capacidade de sentir felicidade e prazer.

A depressão é mais frequente nos idosos, pois, após a aposentadoria, ocorre um crescimento no isolamento social do idoso, da sensação de inutilidade, das crises de existência e do medo do futuro. Por vir misturada a outros males, não é percebida por entes do idoso, nem por ele próprio, que relaciona a falta de vontade e apatia ao avanço da idade. Além disso, o idoso sofre mais frequentemente com a perda, seja ela de entes queridos, da autoestima, do afastamento da família que não sabe lidar com ele, e muitos outros fatores.

Como qualquer outra doença, a depressão não deve ser tratada como um problema simples de resolver, como bastasse ao idoso que criasse vontade para realizar tarefas, e ele não os fizesse pois não tem vontade, por preguiça ou frescura. É nessa hora que a pessoa deprimida mais precisa de companhia, apoio e compreensão. Para isso, busque entender mais sobre a doença e se colocar no lugar da pessoa depressiva, dando apoio e carinho.

Como combater a depressão

Antes de tudo, é recomendável procurar um médico psiquiatra para confirmação do diagnóstico e tratamento adequado. As dicas a seguir são adicionais que ajudam no tratamento e até a prevenir o desenvolvimento da depressão.

  • Buscar apoio da família e amigos – é mais fácil enfrentar desafios quando se pode contar com as pessoas em quem você confia, pois os obstáculos parecem menores e mais simples de combater;
  • O idoso deve se manter ativo fisicamente, participando de grupos de leitura, igrejas, praticando esportes ou outras atividades de sua preferência;
  • A família deve ter participação frequente na vida do idoso, tanto porque a família é a mais importante instituição na vida das pessoas e fonte de socialização fundamental, quanto para ajudar no diagnóstico precoce da depressão, se for o caso;
  • Sair de casa – manter-se no mesmo ambiente pode fazer com que o idoso se lembre de momentos ruins e fortaleça os sentimentos ruins. Quando saímos de casa, somos bombardeados por outras informações, sensações e emoções, possibilitando a mudar a maneira como olhamos as coisas;
  • Cuidar de si mesmo – cuidar da saúde física e da beleza dá mais disposição para realizar atividades e eleva a autoestima, tornando possível que a pessoa depressiva saia do estado apático e tenha mais chances de vencer a depressão.

Portanto, para uma vida saudável e mais feliz na 3ª idade, deve haver a presença da família e de amigos, que devem ter participação ativa e possibilitar momentos de qualidade na vida do idoso e ficar sempre atentos para os primeiros sinais de depressão. O idoso, por sua vez, deve trabalhar para não se isolar, ter uma vida ativa e fazer uma visita ao médico no sinal dos primeiros sintomas.


Home Care