Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Quimioterapia em idosos: como lidar?

Quimioterapia em idosos: como lidar?

A quimioterapia em idosos pode ser um procedimento necessário para tratar pacientes com câncer, mas é importante compreender as particularidades de cada caso.

Com o aumento da expectativa de vida, cresce também o número de idosos que apresentam determinadas doenças, como é o caso do câncer.

Neste post, falamos sobre como lidar com o tratamento, a quimioterapia em idosos. Continue a leitura!

Como é o tratamento de quimioterapia?

A quimioterapia é um tratamento aplicado em pacientes com câncer e que consiste na utilização de medicamentos que destroem as células doentes responsáveis por formar o tumor.

As substâncias utilizadas passam a se misturar com o sangue, levando o medicamento a todas as partes do corpo e impedindo que as células doentes se espalhem para outras regiões.

Tratando-se de um tratamento intenso e que tem impactos sobre o organismo, podem ocorrer efeitos colaterais indesejados para o paciente.

Alguns deles incluem fraqueza, queda de cabelo, diarreia, tontura e perda de peso, podendo ser esse um período de bastante dificuldade para a pessoa tratada.

Nesse sentido, é importante compreender de que forma esses impactos podem ocorrer durante a quimioterapia em idoso.

Como afeta os idosos?

A melhor forma de evitar os impactos causados pelo câncer e suas formas de tratamento segue sendo a prevenção.

Adotar um estilo de vida mais saudável, que inclua uma alimentação balanceada e a prática regular de exercícios físicos é a chave para evitar o surgimento da doença.

Em conjunto com essas práticas, exames de rotina permitem o diagnóstico do quadro já em seus momentos iniciais, aumentando as chances de sucesso do tratamento.

Contudo, a quimioterapia em idosos segue sendo uma das formas de tratar a doença e, por isso, é preciso compreender de que forma ela atua sobre a vida desse grupo etário.

Quando o paciente não apresenta comorbidades, é possível aplicar o tratamento de maneira convencional, sem que sejam oferecidos riscos em decorrência da idade avançada.

Já nos casos em que o idoso apresenta algum problema de saúde simultaneamente ao surgimento do câncer, é importante analisar se a quimioterapia consiste em uma boa opção e se seu organismo está apto a receber os medicamentos.

Afinal, essa forma de tratamento tem fortes impactos sobre o organismo e, por isso, é preciso se certificar de que o idoso será beneficiado pela sua utilização.

Como ajudar um parente nessa situação?

O período de tratamento, envolva a quimioterapia em idosos ou em qualquer outro grupo etário, é um momento de bastante fragilidade para o paciente e, assim, é importante oferecer apoio ao longo do processo.

Uma maneira de auxiliar o paciente na prática é através da procura de bons profissionais para acompanharem o desenvolvimento do quadro.

Nesse caso, é indicado que o tratamento seja desenvolvido de forma conjunta, contando com a avaliação de um oncologista e também de um geriatra.

Dessa maneira, é possível estudar o quadro de cada paciente e determinar qual é a melhor forma de proceder, garantindo não apenas mais chances de sucesso, mas também mais qualidade de vida.

Em alguns casos, é necessário o acompanhamento de um profissional de home care. Nesses casos, conte com a Master Nursing.

Agora que você já conhece a quimioterapia em idosos e seus efeitos, continue por aqui e confira nosso post sobre como prevenir a presbifonia!


Home Care