Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Tratamentos naturais para o Mal de Alzheimer

Mais de 50% das causas de Alzheimer estão relacionadas com outros problemas de saúde que se agravam com a idade, como a hipertensão, depressão, colesterol alto, entre outros problemas. Por isso, existem algumas formas de tratamentos que são complementares aos tratamentos farmacológicos de forma a melhorar as habilidades cognitivas do paciente.

O objetivo do tratamento não farmacológico não é tentar forçar o idoso a um estado anterior a doença, e sim conter o avanço da doença, preservar as capacidades neurológicas do paciente e otimizá-las.

Porém, na intenção de ajudar o idoso a manter-se ativo, muitas famílias e cuidadores acabam sobrecarregando-o de tarefas as quais ele não consegue concluir, sentindo-se assim incapaz e desanimado. É necessário saber balancear a capacidade do idoso e também suas vontades, atribuindo a ele tarefas simples e prazerosas, para que se sinta estimulado e tenha ânimo para prosseguir.

Em todas as atividades é necessário acompanhamento e monitoramento de familiares ou cuidadores, modificando-as conforme as respostas do paciente para que se torne algo agradável, aumentando sua autoestima e iniciativa, assim mantendo o idoso ativo e sua qualidade de vida melhorada.

Tipos de tratamentos não farmacológicos

#1 Estímulos mentais

Também chamados de estímulos das funções cognitivas, consiste na realização de tarefas ou atividades que requerem a utilização do pensamento, raciocínio lógico, atenção, memória, linguagem e planejamento.

Essas atividades podem ser jogos, desafios mentais, treinos específico, reflexões, narração de histórias (para resgatar a memória) e uso de materiais que auxiliem nas dificuldades específicas, como por exemplo um calendário para pacientes que sofrem de desorientação temporal.

Além disso, as atividades podem ser realizadas individualmente ou em grupo, atentando para a necessidade de cada paciente e suas limitações. Tem como objetivo estimular as habilidades cognitivas e minimizar as dificuldades dos pacientes, promovendo mais autonomia e capacidade de decisão.

#2 Estímulos físicos

É a atividade que consiste na realização de atividades físicas ou fisioterapia, pois além de manter ativas certas áreas do cérebro e evitar a sua degeneração, promove mais coordenação muscular, equilíbrio e flexibilidade. Também ajuda o idoso a manter-se independente e retarda o decaimento das funções motoras.

Lembre-se que o estímulo deve ser agradável e não cansar o idoso. Analise as necessidades e capacidades do idoso antes de atribuí-lo uma dessas atividades, além de manter constante o monitoramento, para evitar quedas e machucados.

#3 Estímulos sociais

As atividades de estímulo social consistem na manutenção e ativação de suas habilidades sociais através do contato com outras pessoas, sejam outros pacientes, familiares ou amigos.

A importância dessas atividades é promover a utilização das habilidades de comunicação, convivência e afeto, evitando sintomas de apatia e depressão ou problemas na fala e na expressão através da fala por conta da inatividade.

Essas atividades podem ser através do contato com a família, principal fonte de convívio e interação social, ou de atividades em grupo que envolvam, por exemplo, lazer, cultura, celebrações de datas importantes e narrativa de histórias. É necessário que as conversas sejam monitoradas e adequadas de acordo com as necessidades do idoso.

#4 Organização da rotina e do ambiente

Uma vida e um ambiente bem organizado previne a ocorrência de situações agitadas e desorganizadas, que podem influenciar o humor do idoso, sua relação com as pessoas e suas capacidades cognitivas.

Ofereça ao idoso um ambiente organizado, com rotinas e situações previsíveis, evite conflitos desnecessários, bagunça e situações intensas. Isso ajuda a controlar os sintomas de ansiedade e agitação, delírios e situações constrangedoras.

#5 Dieta saudável

Além de colaborar para a prevenção das doenças que podem agravar o risco da manifestação do Mal de Alzheimer, manter uma dieta saudável pode ser fator essencial para manutenção da saúde, e tratamento dos sintomas, aumentando a qualidade de vida, disposição e energia.

O idoso também deve se alimentar em períodos regulares, sempre no mesmo horário, mantendo uma rotina saudável e organizada, o que facilita a vida do paciente.

#6 Tratar problemas específicos

A doença causa uma série de fatores que força a adaptação do idoso a situações negativas e certas perdas. Para isso, é necessário ajuda profissional para encaminhar suas dificuldades, suas ansiedades, frustrações e evitar problemas sociais.

Pode ser necessário que o paciente precise de tratamentos específicos, como a ajuda de cuidadores ou da família para auxiliá-lo nas tarefas cotidianas, como comer, beber e tomar banho; a fisioterapia, para melhora das habilidades motoras; de acompanhamento psicológico, para minimização do sofrimento e auxílio na adaptação a mudanças; e de acompanhamento médico geral, como geriatras, neurologistas, nutricionistas e outros para manter a saúde do idoso em dia.

Concluindo, é importante manter uma vida saudável, ser ativo socialmente, fisicamente e mentalmente, além de possuir uma rotina e organização constante na vida. O acompanhamento médico também é importante para um tratamento eficiente e manter a saúde e qualidade de vida sempre em alta. Entretanto, esse tipo de tratamento não deve excluir um tratamento farmacológico, e sim complementá-lo.


Home Care