Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Como identificar depressão em autistas?

Como identificar depressão em autistas?

A depressão em autistas é uma realidade, principalmente entre os adolescentes e jovens.

A fase da adolescência por si só já traz uma série de mudanças nas vidas das pessoas, gerando dúvidas, inseguranças e incertezas.

Para os adolescentes que sofrem com o autismo essa fase é ainda mais complexa, colaborando para o risco de depressão.

Nesse post vamos apresentar métodos para identificar depressão em autistas e o que fazer para tratar o problema. Continue lendo e saiba mais a respeito!

A depressão em autistas

Um estudo publicado pela Jama Pediatrics dos Estados Unidos concluiu que adolescentes e jovens que são vítimas do TEA (Transtorno do Espectro Autista) têm quase 3 vezes mais chances de desenvolver a depressão do que pessoas da mesma faixa etária que não possuem essa condição de saúde.

Um jovem diagnosticado com o TEA tende a enfrentar severas dificuldades para lidar com o problema, podendo desenvolver um quadro depressivo.

Diversos sintomas do autismo se parecem com os da depressão, por isso, há certa dificuldade para a identificação do problema. 

Entre os traços comuns podemos destacar: 

  • variações de humor,
  • problemas com o sono,
  • retraimento social.

Especialmente no período da adolescência é importante ter uma atenção redobrada para a identificação de uma possível depressão e um tratamento adequado.

Como identificar depressão em pacientes autistas?

Conforme já comentamos, a depressão em pacientes autistas é de difícil identificação visto que os sintomas são similares entre as duas doenças e, portanto, podem ser camuflados pelo autismo.

No entanto, é possível perceber mudanças e o agravamento desses sintomas no comportamento do adolescente quando esse está com depressão.

Isso acontece porque a depressão tende a acentuar quadros clínicos que já são comuns aos autistas como choro, irritabilidade e autolesão.

Além disso, é importante estar atento a diminuição do interesse por atividades que anteriormente eram frequentes no cotidiano do adolescente, podendo ser um indicativo de depressão.

A tristeza, o desânimo e a falta de interesse nos cuidados pessoais como o banho e a alimentação também são características que precisam ser avaliadas.

Meu filho está com depressão, e agora?

A partir da identificação da depressão nos autistas por um profissional é possível a realização de tratamentos eficazes que abrangem estressores domésticos, sociais e educacionais que incluem mudanças no estilo de vida, terapia de conversação e medicamentos.

Pode-se trabalhar melhorias no bem-estar do paciente envolvendo:

  • exercícios regulares,
  • sono adequado,
  • boa nutrição,
  • acompanhamento psicológico.

As possibilidades são muitas, com a terapia, o tratamento médico e o home care realizado por profissionais capacitados avaliando o estado do adolescente e adaptando ações de acordo com o progresso ocorrido.

Se você está enfrentando esse problema em sua casa é necessário buscar ajuda profissional e contar com uma empresa especializada no atendimento domiciliar que irá prestar assistência quando você mais precisa.

Agora que você já sabe como identificar depressão em autistas, acesse nosso site e conheça as soluções que a Master Nursing oferece para melhorar a qualidade de vida de milhares de pessoas.


Home Care