Telefone (11) 3875-1424 | contato@masternursing.com.br

Como prevenir o câncer de mama

O câncer de mama é um dos principais responsáveis por mortes de pessoas do sexo feminino, correspondendo a 15% das mortes por câncer do gênero. Por isso, é importante informar a população sobre os riscos, a causa e, principalmente, as formas de prevenção.


Na verdade, ainda não existe uma vacina, remédio ou fórmula para prevenir completamente a manifestação do câncer de mama. Mas, com os avanços e as pesquisas na área, foi possível descobrir os principais agravantes para o aumento do risco do câncer e, consequentemente, evitá-los.

Prevenção primária
A prevenção primária consiste basicamente em atacar as principais causas do câncer de mama, retirando a mulher dos principais grupos de risco para a doença. Citaremos aqui os principais os hábitos saudáveis que podem evitar a manifestação da doença:

#1 Fazer exercícios
Praticar exercícios tem papel importante para a prevenção do câncer de mama, pois reduzem os níveis de estrógeno, diminuem o estresse e ajudam no controle de peso, três dos fatores mais influentes na manifestação do câncer de mama.
É preciso evitar o sedentarismo a todo custo, seja subindo escadas ao invés de usar o elevador, caminhar ou qualquer tipo de alongamento diário. Especialistas dizem que mulheres com vidas ativas tem 28% de redução no risco de desenvolver a doença.

#2 Boa alimentação
Uma dieta balanceada ajuda no controle do peso, prevenção da obesidade, colesterol alto e ajuda na melhora da saúde como um todo, pois um melhor funcionamento do organismo bloqueia o surgimento de tumores.
Uma pesquisa realizada pela Boston University apontou que pessoas que consomem vegetais têm até 45% menos chances de desenvolver tumores. Alimentos ricos em glucosinolatos, como o brócolis, a mostarda, a couve e as hortaliças verdes, são os mais recomendados para a prevenção e tratamento da doença.

#3 Lute contra o estresse
O estresse pode dobrar as chances de desenvolver câncer de mama, quando relacionado a outro fator de risco. Atividades físicas, práticas de meditação e relaxamento, além de técnicas de respiração podem ajudar a controlar o nervosismo e a ansiedade.

#4 Atenção para o colesterol
Também conhecido como “gordura ruim” é matéria prima para a fabricação dos estrógenos. Por isso, mulheres que apresentam colesterol alto também tendem a produzir esse hormônio em maiores quantidades e, consequentemente, aumentando o risco de câncer.

#5 Cuidado com o seu peso
Uma pesquisa realizada pelo Centro de Prevenção Fred Hutchinson, nos EUA, constatou que a obesidade pode representar fator de risco para o desenvolvimento do câncer de mama, mais agravado se apresentada após a menopausa. O risco é maior para pessoas com índice de massa corporal (IMC) igual ou superior a 30. Reduzir o peso em 5% já corta pela metade os riscos de desenvolver os principais tipos de câncer de mama.

#6 Corte o álcool
O consumo de álcool está relacionado a um maior risco de câncer de mama, que aumenta conforme a quantidade de álcool consumido. Estudos apontam que consumir apenas 14 gramas de álcool por dia já aumentam o risco do câncer de mama em 30%.

Através desses hábitos saudáveis é possível reduzir e muito as chances de desenvolver tumores, além de proporcionar uma vida mais saudável, com mais disposição e mais tranquilidade. Invista em cuidar de si mesma!

Prevenção secundária
A prevenção secundária, por sua vez, não é bem uma forma de prevenção, mas sim de precaução: ela envolve o diagnóstico precoce da doença, aumentando as chances de cura. Dentre as principais formas de prevenção, estão a mamografia e o auto-exame, também chamado de auto cuidado. Falamos um pouco mais sobre as formas de diagnóstico em nosso artigo “Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Mama”.
Um estudo realizado pela revista Radiology mostrou que a realização da mamografia em idade adequada, anualmente, pode reduzir a morte por câncer de mama em até 30%. É importante que a mulher com mais de 40 anos realize os exames anualmente e, a com mais de 60, realize a cada 6 meses, pelo menos.
Além disso, é importante que as mulheres que façam parte dos grupos de risco realizem exames com mais frequência, estejam atentas para os sintomas e comecem os exames anuais mais cedo. Conheça algum dos fatores de risco que podem exigir mais da sua atenção:

  • Idade

O aumento do risco de câncer de mama também está relacionado com a idade. Estudos apontam que apenas 12% dos cânceres de mama invasivos são diagnosticados em mulheres de até 45 anos, mas cerca de 60% são diagnosticados em mulheres com mais de 55 anos.

  • Histórico familiar

É necessário atentar para a presença de familiares de primeiro grau (mãe, filha ou irmã) que tiveram a doença, pois o risco é praticamente dobrado. Possuir dois ou mais parentes de primeiro grau com a doença aumenta o risco em 3 vezes. No caso de histórico familiar, o paciente deve começar a fazer mamografias anuais 10 anos antes da idade que tinha o familiar com o caso mais precoce na família. Por exemplo, se o parente tinha 40 anos quando foi diagnosticado, os exames deverão ser anuais a partir dos 30 anos.

  • Lesões de risco

A presença de lesões no tecido das mamas ou alterações, irritações, alergias ou a presença de qualquer sintoma relacionado a cistos e calcificações podem provocar o crescimento desordenado de células, gerando tumores. Por isso, é necessário acompanhar essas lesões, mesmo quando forem benígnas, com certa frequência e bastante atenção.

Prevenção terciária
A prevenção terciária, conhecida como quimioprevenção tumoral, consiste na indicação de medicamentos para pacientes que não tenham sinais claros da doença ainda, mas apresentem alto grau de risco para seu desenvolvimento. Esse método ainda está em desenvolvimento e aplicado em estudos clínicos, portanto, não é uma forma recomendada para todos os casos.
Esta forma de prevenção é aplicada em pacientes com histórico familiar ou fatores de riscos muito fortes, para inibir o aparecimento de tumores. O processo para avaliar a necessidade do tratamento envolve três etapas: seleção inicial através de questionário, avaliação clínica direcionada com exames específicos e a indicação de exames complementares para maior precisão.

É preciso se unir para combater e vencer o câncer, incentivando amigos e familiares a se prevenirem, terem acompanhamento médico constante e fornecer ajuda e apoio para conhecidos que já foram diagnosticados com a doença.

Fontes:
http://www.oncoguia.org.br/conteudo/cancer-de-mama/1413/192/
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/cancer-de-mama


Home Care